Avaliação gratuita do visto - até 30/6/24!

                            Avaliação gratuita do visto até 30 de junho de maio de 2024 - Desbloqueie o seu sonho de Singapura!

A economia de Singapura:
Porquê mudar-se para Singapura?

Um pequeno ponto na Ásia-Pacífico, entre o Mar da China Meridional e o Oceano Índico, conseguiu dar um salto gigantesco do terceiro mundo para as mais altas classificações económicas mundiais desde que obteve a sua independência do Reino Unido em 1963. A economia de Singapura foi apelidada de "tigre" devido ao seu incrível zelo pelo progresso e à rápida transformação dos investimentos registada na década de 1980 e em meados da década de 1990. Atualmente, é uma das nações mais ricas do mundo: Singapura tem o terceiro maior PIB (PPC) per capita do planeta (segundo o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, 2014). Sendo pró-negócios, governada com honestidade e a menos corrupta da Ásia, Singapura possui o maior potencial de investimento do mundo, o que a transformou num centro de negócios global competitivo.

Características da economia de Singapura

Economia orientada para o comércio

Durante décadas, o país foi um exportador ativo e fiável de produtos químicos, electrónicos, produtos petrolíferos, equipamento de transporte, hardware de telecomunicações e produtos alimentares; no entanto, no novo século, reconsiderou as suas prioridades e oportunidades e passou a dedicar-se também ao desenvolvimento e à investigação, às finanças, aos cuidados de saúde e à biomedicina. Com os seus impostos baixos e práticas comerciais abertas, o país conquistou a lealdade dos investidores globais e transformou-se num vigoroso centro de arranque de empresas.

Singapura tem mais de 20 acordos bilaterais de "comércio livre" com os seus parceiros comerciais estratégicos, incluindo o seu antigo Estado metropolitano (o Reino Unido) e a União Europeia. O país possui o rácio "comércio/PIB" mais elevado do mundo, que era de 4 para 1 em 2011. Em 2014, o comércio de Singapura totalizou 982 mil milhões de SGD. A Malásia é o maior parceiro comercial e a maior fonte de importações de Singapura. Outros parceiros comerciais activos são a China, a Indonésia, o Japão, Hong Kong, a Coreia do Sul, os EUA e a UE.

Singapura participa ativamente no comércio de entrepostos: compra matérias-primas, refina-as e reexporta-as. Singapura é um destino comercial perfeito para as empresas ambientais, uma vez que é o líder asiático no fabrico de água: já tem mais de 180 empresas especializadas em água e investe na inovação da dessalinização da água e no desenvolvimento de sistemas de esgotos mais eficazes. Outra atividade de entreposto em que Singapura é líder na Ásia é a refinação de petróleo. O país já dispõe de enormes instalações de armazenamento de petróleo e pretende expandi-las num futuro próximo.

Singapura é famosa pelo seu esquema muito simples de documentação relativa ao comércio. As alfândegas de Singapura utilizam um sistema eletrónico denominado Tradexchange para tratar os documentos de exportação e importação.

Fluxo de investimento constante

Apesar do elevado custo de vida, Singapura atrai cada vez mais investimentos. Os Estados Unidos continuam a ser o principal investidor de Singapura em sectores como a eletrónica, os produtos químicos e a refinação de petróleo. Em 1999, o investimento total das empresas americanas atingiu 20 mil milhões de dólares. Mais de 3 mil empresas internacionais foram atraídas para Singapura devido aos seus impostos reduzidos, às baixas taxas de corrupção e às suas infra-estruturas eficazes. Singapura investe ativamente na China, Malásia, Hong Kong e mesmo nos EUA.

O Governo assume ele próprio uma posição de liderança em termos de investimento: possui dois fundos soberanos (Temasek Holdings e GIC Pte Ltd) que inicialmente se destinavam a gerir sectores estratégicos da economia (transportes públicos, meios de comunicação social, transportes marítimos, banca, defesa, aeroportos, etc.), mas que mais tarde foram reorientados para a atividade comercial. As empresas públicas operam nas mesmas condições que as empresas privadas e não beneficiam de quaisquer privilégios especiais. Em 2014, a Temasek detinha mais de 69 mil milhões de SGD dos activos de Singapura.

Perito financeiro

Singapura obtém um quarto do seu PIB da prestação de serviços financeiros profissionais, tais como seguros, resseguros, gestão de património e de activos, câmbio, comércio, arbitragem, etc. Singapura é um poderoso centro bancário da região Ásia-Pacífico e o terceiro maior centro financeiro da Ásia, onde se encontram 117 instituições bancárias estrangeiras. Singapura oferece vários serviços bancários competitivos, desde créditos ao consumo a operações de seguros e de investimento. Pela sua fidelidade aos interesses dos seus clientes de elevado património líquido, Singapura mereceu a alcunha de "a Suíça da Ásia": não assinou a diretiva fiscal da UE (2005) que a obrigaria a divulgar informações privadas sobre os seus investidores/depositantes.

Menos dependência de estrangeiros

Há décadas que Singapura depende da mão de obra estrangeira, mas atualmente o governo faz esforços difíceis, embora razoáveis, para reduzir essa dependência através do aumento da produtividade. As políticas que regulam o emprego de estrangeiros tornaram-se mais rigorosas e alguns vistos de trabalho (como o Passe S ou Autorização de trabalho) têm agora uma quota e uma taxa obrigatória para cada trabalhador estrangeiro. O Ministério do Trabalho tornou-se mais exigente na concessão de autorizações de trabalho e aumenta constantemente o salário de referência, bem como outros critérios dependentes do salário.

O governo aposta na mão de obra local, que é bem formada e motivada. A prioridade do país é construir uma economia competitiva e orientada para o conhecimento, aumentar as competências da mão de obra local e mantê-la preparada para os desafios da economia atual. Para o efeito, o Governo acolhe os estrangeiros mais profissionais, capazes de partilhar conhecimentos competitivos. Foi criado um visto de trabalho de três subclasses para os talentos estrangeiros - o Passe de emprego. Os requisitos obrigatórios para obter este visto são: ser contratado pela empresa sedeada em Singapura por um salário correspondente ao nível profissional (mas não inferior a 3 300 SGD) e possuir conhecimentos e competências valiosos de que a economia de Singapura necessita.

Legado e cenário político

Singapura tem um clima político muito estável. Imagine-se o país governado pelo mesmo partido político (Partido de Ação Popular) desde 1959 e, ao mesmo tempo, um país aberto, favorável às empresas e bem desenvolvido. O nível de confiança no governo e no Parlamento é muito elevado, e essa estabilidade atrai investimentos estrangeiros. As autoridades, por seu turno, são fiéis a políticas comerciais e económicas favoráveis às empresas e dão-lhes um apoio tangível sob a forma de iniciativas de co-investimento e de impostos favoráveis.

Singapura tem uma aplicação muito forte da lei, mas todos os regulamentos são transparentes e justos. O sistema jurídico de Singapura baseia-se nas declarações do direito consuetudinário britânico. O país tem as taxas de criminalidade e de corrupção mais baixas da Ásia, e lidar com as autoridades é um prazer, claro, se não se violar a lei. As empresas estrangeiras beneficiam da resolução profissional de litígios e da melhor proteção da propriedade intelectual da Ásia (#2 do mundo).

Em alguns casos, o ambiente legal pode ser bastante sufocante para os imigrantes de países ocidentais, especialmente quando se trata de proibições que são levadas muito a sério (por exemplo, pode ser multado por não puxar o autoclismo depois de o utilizar).

Abordagem criativa e inovadora

A criatividade não é a caraterística nativa mais forte dos singapurenses e, por isso, o governo fomenta-a conscientemente na economia, a fim de se manter competitivo a nível mundial. Singapura é um país que gosta de experiências ousadas e de inovações; por isso, conseguiu criar sistemas altamente competitivos e bem sucedidos que se diz serem dificilmente aplicáveis noutro lugar, como, por exemplo, o cuidados de saúde. Singapura investe em design e arquitetura ambientais criativos (e as suas principais atracções são, de facto, lendárias), meios de comunicação social, comunicações visuais, design de moda e de software, proteção da propriedade intelectual e conteúdos, a fim de se tornar um ícone em toda a região da Ásia-Pacífico.

Singapura testa e aplica as mais recentes tecnologias no domínio das ciências biomédicas. Sendo o sexto país do mundo em termos de eficácia, o sistema de saúde de Singapura atrai todos os anos milhares de turistas médicos que procuram um tratamento eficaz. Ao mesmo tempo, a despesa anual do país com os cuidados de saúde é das mais baixas do "primeiro mundo": apenas 3,9% (para comparação, é superior a 8% nos EUA e a 7,6% no Reino Unido). No sector da investigação, as clínicas de Singapura colaboram com centros médicos de nível mundial, como o Massachusetts General Hospital ou o Pennsylvania University Medical Centre.

Poupança pessoal

Singapura reduz as suas despesas com a reforma e os cuidados de saúde, incentivando os cidadãos a efectuarem as suas próprias poupanças. O Fundo Central de Previdência nacional permite que os trabalhadores assalariados façam poupanças através de contribuições mensais obrigatórias (geralmente 7 a 9% do salário) para as suas contas pessoais no Fundo. O fundo tem 3 "bolsas": Medisave (para cuidados de saúde e reforma), MediShield (seguros) e MediFund (necessidades extra).

Com base no montante acumulado, os indivíduos podem curar-se a si próprios e aos seus dependentes (familiares), escolhendo o montante confortável do subsídio governamental. No entanto, isto não significa que os indivíduos possam obter serviços médicos gratuitamente: mesmo que se submetam a tratamento em instalações públicas, têm de pagar uma determinada percentagem do custo do seu bolso. Esta abordagem protege as instalações públicas da utilização excessiva e promove um estilo de vida saudável que resulta da compreensão da responsabilidade financeira pessoal pela própria saúde.

Vantagens de criar uma empresa em Singapura

Facilidade de gestão da empresa
De acordo com o relatório do Banco Mundial (2014), Singapura é considerada o local mais fácil para iniciar e gerir uma empresa. O Governo simplificou o procedimento de registo de uma nova empresa (atualmente, o registo de uma empresa sediada em Singapura demora apenas um dia) e introduziu condições vantajosas para as partes interessadas estrangeiras: o capital social mínimo que permite aos estrangeiros constituir uma sociedade anónima é de apenas 1 dólar de Singapura e a percentagem de participação estrangeira não é limitada (pode ir até 100% de estrangeiros). A maior parte das empresas constituídas em Singapura estão registadas como sociedades de responsabilidade limitada: os seus accionistas têm uma responsabilidade limitada ao capital realizado constituído no início. Esta forma de empresa protege os bens pessoais dos accionistas em caso de dívidas da empresa ou de questões jurídicas e oferece as maiores oportunidades possíveis de expansão, compra de propriedades, concessão de empréstimos, investimento e alteração da propriedade. Uma vez que a sociedade anónima é a preferida pelo Governo de Singapura, este oferece incentivos e reduções fiscais significativos que permitem reduzir drasticamente a taxa do imposto sobre as sociedades.

Impostos baixos

Para atrair mais investimentos, Singapura mantém os seus impostos favoráveis às empresas. O país tem uma das taxas de imposto sobre as sociedades mais baixas do mundo - 17%. Mas mesmo este número não passa do papel, uma vez que as novas empresas são privilegiadas com vários descontos e incentivos fiscais durante os primeiros anos da sua atividade: podem ganhar os primeiros 100 mil SGD isentos de impostos e pagar apenas 50% de imposto sobre as sociedades pelos 200 mil SGD de receitas seguintes.

O imposto sobre o rendimento das pessoas singulares em Singapura é também um dos mais baixos do planeta: a taxa aumenta gradualmente a partir de 0% e é limitada a 20% para rendimentos superiores a 320 mil SGD. A tributação dos rendimentos das pessoas singulares depende também do facto de essas pessoas serem ou não residentes fiscais em Singapura. Para ser considerado residente fiscal (e ser tributado como um residente local), o estrangeiro deve permanecer/trabalhar em Singapura durante 183 dias por ano ou mais. Os que permanecem menos tempo são tributados à taxa fixa de 15%.

O imposto sobre o valor acrescentado (IVA) está fixado em 7% em Singapura, que é uma das taxas mais baixas do planeta. Os empresários estrangeiros que criam empresas em Singapura não devem recear a dupla tributação, uma vez que Singapura assinou acordos para evitar a dupla tributação com muitos países do mundo. Além disso, Singapura não impõe impostos sobre as mais-valias e os dividendos. Uma vez que as mais-valias foram tributadas ao nível das sociedades, os accionistas podem usufruir dos seus dividendos com isenção de impostos. Os impostos sobre a morte e a herança também não existem em Singapura.

As empresas falam inglês aqui

O inglês é a língua oficial das regulamentações económicas e comerciais em Singapura, o que facilita as relações com as principais economias desenvolvidas do mundo. A mão de obra local bem formada e que fala inglês oferece enormes oportunidades de crescimento empresarial.

Pessoal local motivado e instruído

Singapura considera a educação estratégica e gasta muito dinheiro para manter a sua mão de obra local formada e competitiva. O país planeia duplicar as suas despesas com o ensino pós-graduado para mais de mil milhões de SGD por ano.

Infra-estruturas de topo

É no sector das infra-estruturas de Singapura que se vê a paixão do país pela inovação. O Estado não poupa dinheiro e investe generosamente em infra-estruturas, tratando-as como um dos mais importantes sectores de excelência. Até 2020, Singapura planeia aumentar o seu investimento em infra-estruturas em 50%. Singapura investe não só em melhores estradas e veículos, mas também na gestão da luz e dos resíduos, na construção de estradas para carros autónomos inovadores e no desenvolvimento de aplicações móveis para melhorar a comunicação entre os prestadores de serviços públicos e os consumidores.

Os transportes públicos (utilizados pela maioria dos singapurenses) são fiáveis, seguros e mantidos escrupulosamente limpos. O sistema de transporte rápido de massa (MRT), que liga todas as partes de Singapura, é constantemente atualizado. Até 2030, está planeado alargar o seu comprimento para 360 km e redesenhá-lo até 2020.

O projeto de infra-estruturas mais ousado e inovador de Singapura é o seu aeroporto de Changi, que foi considerado o melhor aeroporto do nosso planeta durante vários anos consecutivos. Serve empresas de todo o mundo, ligando Singapura a mais de 110 destinos na Ásia-Pacífico e a mais de 300 aeroportos em todo o mundo. Singapura orgulha-se do seu aeroporto e investe muitos fundos na realização de muitos projectos inovadores no seu interior, a fim de satisfazer as expectativas dos visitantes: interior em estilo jardim, design espetacular e instalações confortáveis (uma piscina, cinema gratuito e um escorrega de 12 metros de altura). Todos os seus terminais estão a ser constantemente renovados e ampliados para maior comodidade.

Singapura possui também o segundo porto marítimo mais movimentado do mundo, o que facilita o comércio na região da Ásia Oriental. O porto de Singapura é o porto de transbordo mais movimentado do planeta: transborda a 5ª parte dos contentores marítimos do planeta. Com 67 postos de acostagem, o porto liga as empresas de Singapura a mais de 600 portos (em mais de 120 países) em todo o mundo. Ter um porto bem desenvolvido é uma necessidade para a pequena Singapura, que carece de terras e, por conseguinte, de recursos naturais.

Localização centralizada

A localização de Singapura, no ponto de intersecção das rotas marítimas ocidental e oriental, que permite um acesso fácil a quase 50% da população mundial, é muito vantajosa em termos de negócios e de desenvolvimento da presença da empresa.

Singapura está associada à região económica ASEAN (Nações do Sudeste Asiático), que é muito maior do que a UE e onde vivem mais de 620 milhões de asiáticos. E Singapura assume a posição de liderança neste enorme e altamente promissor mercado asiático. É por isso que os principais retalhistas e holdings influentes do mundo se esforçam por ter uma loja em Singapura ou abrir filiais, escritórios de representação e sucursais aqui. Grandes empresas "metropolitanas" (como a Rolls-Royce, o Barclays, a Shell, a Standard Chartered, etc.) já apreciaram as vantagens económicas de Singapura e transferiram para lá as suas empresas regionais.

Elevada capacidade de crédito

3 grandes agências de notação de crédito (Standard & Poor's, Fitch e Moody's) atribuíram a Singapura a classificação máxima AAA. Isto significa que avaliaram a fiabilidade creditícia dos singapurenses e das empresas de Singapura como muito elevada.

Singapura é uma economia aberta, pelo que reflecte todas as tendências do comércio mundial como um espelho. Por conseguinte, esta caraterística torna-a vulnerável às recessões mundiais. Por exemplo, os processos lentos da economia mundial em 2013/14 tiveram impacto nos altos e baixos do PIB de Singapura. Em condições mais estáveis, espera-se que o PIB de Singapura cresça 3-4% por ano. Atualmente, é o 36º do mundo: mais de 307 mil milhões de dólares, o que é enorme para um país minúsculo. O seu PIB per capita (mais de 56 mil dólares) é superior ao do antigo Estado metropolitano de Singapura (o Reino Unido).

A economia de Singapura é uma combinação rara de mão de obra trabalhadora e dedicada, de uma gestão sensata dos recursos, do zelo empresarial e da capacidade de inovação e de investimento iniciada pelo governo. Tal como um tigre, a economia de Singapura conseguiu dar um enorme salto do terceiro mundo para o primeiro em menos de meio século, polindo as suas normas comerciais e empresariais de alto nível e transformando-se num centro de excelência global em tudo o que faz.

pt_PTPortuguese
Obtenha hoje mesmo uma avaliação gratuita de vistos em linha - Descubra a sua elegibilidade para vistos com base no seu perfil.

Obtenha hoje a sua avaliação gratuita da elegibilidade para o visto!

Desbloqueie a sua viagem a Singapura - Avalie a elegibilidade do seu visto com peritos.

Nunca mais falhe no seu pedido de visto!

Descubra a elegibilidade do seu visto antes de o solicitar

Preencha o formulário abaixo para obter uma avaliação gratuita e garantir que a sua candidatura está no bom caminho.

Avaliação gratuita!

× Whatsapp Now!